Bônus: Roberto

86 2 0
                                                  

  Pessoal, sei que é difícil acompanhar quando cada capítulo é de uma pessoa, mas esse é só um bônus, para vocês não ficarem muito tempo sem a Mari. Desculpem pela demora, mas estou em semanas de provas, então fica tudo corrido.  Beijos!  Deixem suas estrelinhas.

                     *-*-*-*-*-*-*-*

   Quando a Mariane entrou no carro fiquei sem ar. Aquela menina de calças jeans e camiseta que trabalhava para mim durante a semana não podia ter se tornado aquele mulherão! Ela estava com um vestido vermelho escuro que deixava uma parte das costas a mostra e assim que a vi meu amigo lá de baixo parecia que tinha vida própria.  Fiquei quieto durante todo o trajeto, porque minha vontade era de agarrar ela ali mesmo, mas não podia fazer isso por 2 motivos:

   1- ela era minha funcionaria.

    2- a filha dela estava ali.

Claro que o segundo motivo tinha mais peso do que o primeiro, mas isso não vem ao caso.

   A filha dela era uma doçura, parecia uma boneca e só de olhar para a Mari dava para ver o tamanho do amor que ela sentia por aquele pedacinho de gente.

   Durante o jantar a bonequinha resolveu fazer uma estripulia e saiu assaltando batatas de outras mesas. A Mari, muito sem jeito foi atrás dela pedindo desculpas pelas mesas em que ela passou. O problema foi quando ela abaixou para pegar a Laura no colo. O vestido subiu um pouco, não deixou nada demais a mostra, mas fez com que eu imaginasse ela na minha cama e eu perdi totalmente o foco da reunião. 

    Lucas, o empresário a quem eu estava atendendo, deu uma secada na bunda dela que fez eu querer voar no pescoço dele. Como assim ele olhava tão descaradamente?  Ela era minha!...Quer dizer, ela era minha funcionaria!  Merecia respeito! Agilizei o máximo que podia para acabar com aquela reunião que já tinha me dado nos nervos e chamei a Mari para ir embora. 

   Ela veio com aquela cara de inocente, meu Deus, ela não sabia o poder que tinha.Despediu do Lucas com dois beijinhos de cada lado e foi para o carro. Prendeu a Laura no cinto e sentou do meu lado. A raiva tinha tomado conta de mim, não aguentei o fato dela ter abraçado ele para se despedir, dela ter debruçado para prender a Laura e fingir que não percebia os olhares que ele lançava para ela.

    - Que porra foi aquilo lá dentro Mariane?!

   

Coincidências do DestinoOnde as histórias ganham vida. Descobre agora