Capítulo 24

8.5K 1.1K 784
                                    

— espera aí Rafe — parei de andar fazendo o garoto parar também — o que está acontecendo?

— está acontecendo que as pessoas mentem, Naya — o encarei sem entender — e quando alguém faz questão de "fazer o bem" recebe mais mentiras.

— eu não estou entendendo.

— se você entender vai perceber que a sua vida é baseada em mentiras e que eu não deveria estar te falando merda nenhuma já que a verdade em outer banks mata.

Soltei sua mão para juntar os cabelos em mais um de meus gestos de nervosismo.

— então seja essa pessoa, Rafe, seja a pessoa que vai me dizer a verdade.

Ele olhou para a rua vazia.

— anda, vamos sair daqui — disse voltando a andar sem me dar nenhuma explicação.

— eu vou pra casa — avisei começando a andar na direção contrária.

— Naya — ouvi Rafe me chamar.

— não Rafe, talvez você realmente tenha razão e a minha vida seja uma completa mentira. Provavelmente as pessoas que eu mais amo e confio mentem pra mim, você acha que não dá pra sentir quando as pessoas não são verdadeiras? Quando te excluem e escondem algo?— senti meus olhos sendo tomados por lágrimas — eu não vou sair daqui com você e ouvir mais mentiras. Eu não sei nem se quero ouvir mais alguma coisa.

Passei as mãos pelo rosto secando algumas lágrimas e deixei um riso raso escapar por meus lábios ao ver minhas mãos sujas com o lapis de olho barato.

— sabe de uma coisa, eu acho que nem tenho medo das mentiras, mas eu realmente estou com muita medo de descobrir o que é a verdade.

Admito tendo dificuldade em entender se eu sou de verdade.

— você não precisa saber.

— eu só não vou saber se derem um tiro na minha cabeça já que eu sou movida a curiosidade — me exaltei passando a mão pelo rosto mais uma vez — que merda de maquiagem barata.

Voltei a ajeitar os cabelos um pouco tomada pela raiva e o resgate pelas bebidas alcoólicas que tomei.

— o que você está fazendo?— Rafe me perguntou quando me viu andar na direção de que viemos.

— indo ter uma noite de mentira a custa de gente rica, não é óbvio?— eu perguntei a ele já de longe.

Em minha mente várias situações que poderiam ser mentiras vagavam, meus pais e a família feliz que temos.

Os meus amigos me excluindo de uma hora para outra do lance do ouro.

Kiara me convidando para vir a uma festa de gente rica após não me procurar por dias.

Rafe Cameron parecendo ser a única pessoa com um pequeno senso crítico de ao menos me dizer que a vida não é cor de rosa.

Qual o próximo passo, John B ser um kook sem precisar de ouro algum?

JJ talaricando o Pope e conquistando a Kiara?

Pope parando de me enxergar como a irmãzinha mais nova do John B?

Tantas alternativas de coisas que podem vir a me pegar de surpresa.

Mas adivinhe, isso não passaria de mentiras.

Mentiras, mentiras, mentiras.

— mas que porra — comentei alto meio bêbada quando Topper esbarrou em mim.

— que boca suja pogue — ele deu risada sozinho e o pior é que eu o acompanhei.

Eu Naya estou em uma festa dando risada com Topper sem nenhum motivo, isso tá muito errado.

Mas minutos depois eu me dei conta de que não sei qual de nós está mais na fossa.

Sentados na grama de algum lugar com uma garrafa de vodka eu e o garoto falamos ao mesmo tempo nossas decepções.

Eu falando sobre mentira e ele falando sobre a Sarah.

Inclusive que possessividade pra cima da coitada da Sarah.

— ela deve ter te amado um dia — eu disse com a voz meio enrolada — e isso não dá pra apagar.

— mas ela tem que me amar pra sempre.

— shiu — coloquei o dedo indicador sobre meus lábios — ninguém tem que fazer nada pra sempre.

— você não sabe de nada — me acusou.

— sorte a sua, se eu soubesse ia ser mentira — dei risada e ele me olhou confuso por um segundo — inclusive cadê o Rafe?

Eu não vi o garoto desde que o deixei sozinho na rua, querendo ou não agora um pouco mais alcoolizada eu já não sinto tanta raiva dele.

— cheirado por aí — Topper riu — o cara não para, é como um aspirador de pó.

Com certeza foi possível ouvir nossas risadas a quarteirões de distância.

— essa foi muito boa — admiti batendo minha mão fechada na sua — mas eu lamento ter que te abandonar, eu sinceramente vou procurar pelo Rafe.

— vocês estão juntos ou algo do tipo?— Topper perguntou.

— eu e o Rafe? Claro que não — dei um sorriso na direção do rapaz antes de seguir o meu caminho.

Em um canto mais afastado da festa Ward e Rafe pareciam discutir mais uma vez.

— boa noite família — aí droga eu tô muito bêbada.

Opostos - Rafe CameronOnde as histórias ganham vida. Descobre agora