29

2.1K 189 128
                                    

NÃO REVISADO

|29/30 penúltimo episódio|

Hayley observa de longe sua filha brincar no jardim, a ruiva estava entretida em fazer flutuar os blocos de montar, construindo com sua mente um castelo de blocos coloridos. A morena estava indignada por sua filha estar usando magia, ela usava a magia tão bem que era óbvio para a morena que ela usava sua magia frequentemente.

Hope rir quando um passarinho pousa no topo de seu castelo de blocos, a ruiva faz um gesto com a mão fazendo pétalas de rosas negras cair sobre o castelo, uma vez que as pétalas chegaram ao chão rosas negras nasciam em uma bagunça desordenada que levantava todo o jardim.

- Está querendo transformar nosso quintal em um jardim igual ao castelo Adams Hope? - Klaus pergunta beijando o topo da cabeça da criança.

- Eu queria dar algumas para a mamãe, ela parece triste. - fala abaixando a cabeça triste.

- Sua mãe está tendo que lidar com muitas coisas ao mesmo tempo filhote. - comenta segurando uma rosa entre o os dedos. - nunca vou entender a fascinação dos Adams pelas rosas negras. - comenta olhando para a rosa maior que uma rosa normal.

- também tem as azuis! - comenta fazendo algumas rosas negras se trasformarem em azuis, de um lindo azul que brilhava ao sol.

- Fantástico... - fala olhando em volta, ele estava orgulhoso de como sua mais velha consegue controlar sua magia. - Vou ter que sair, se divirta com sua mãe Love.

- Tchau papai! - Grita cortando as rosas que criou, ela criaria o mais belo buquê de rosas para alegrar sua mãe.
- A mamãe vai ficar feliz quando ver! - sussurra alegre juntando as rosas com o máximo de cuidado que podia.

[...]

Hope corre em direção a sala, local onde encontra seus tios e sua mãe, eles pareciam estar discutindo algo assim como seu pai, ele não tinha saído?
Hope se aproxima de sua mãe que parecia alterada mas se contém ao ver a criança vindo em sua direção com um buquê de rosas azuis e negras o que fez a morena revirar os olhos, ela se lembrou dos Adams ao ver aquelas rosas.

- mamãe! - Hope sauda com alegria, dando o buquê que parecia brilhar.

As rosas eram um pouco maiores que as rosas normais, as flores negras pareciam ter pequenos diamantes o reflexo dado pelas gotículas de água, já as azuis brilhavam como diamantes azuis eram lindas e delicadas, enroladas com cuidado em um papel preto com vários símbolos que Hayley não conhecia, e um laço bem arrumado na cor azul turquesa.

- Flores? - pergunta sem entender o motivo do buquê.

- aprendi que flores podem deixar as pessoas felizes! - A ruiva fala feliz

- Aprendeu? Com quem? - questiona intrigada, os Mikaelson não eram muito ligados à flores.

- Tia lilly ensinou a meus irmãos e eu a cotivar flores, ela contou que as flores contém vários significados. - comenta alegre. - tio Noah nos ensinou a criar elas com magia, Tia Sam ensinou a cortalas sem ferir as flores fazendo elas ficarem bonitas durantes dias e a tia Rô ensinou a fazer buquê bonitos.

- Então você me deu flores que significa funeral? - pergunta chocada, fazendo Kol rir.

- elas não significam funeral loba! - Kol brinca se aproximando da sobrinha.

- Claro que significam! - fala olhando o buquê, as flores azuis estavam nas pontas e as negras no centro.

- Não mamãe. - Hope chama a atenção da morena. - as rosas azuis significam mistério, busca ou o alcance do impossível. Acredita-se que elas tragam ao dono juventude ou a realização de um desejo, encurtando fica amor e prosperidade mamãe.

Mikaelson perdida Onde as histórias ganham vida. Descobre agora