Capítulo 4

13.1K 1.5K 361
                                    

O céu estava azul, brilhava com o auxílio do sol esquentando a minha pele enquanto o mundo a minha volta estava surtando se preparando para a chegada da poderosa Agatha eu me deixava curtir o sol que bate em meu corpo esticado sobre a prancha de Jhon B que se equilibra sobre as ondas.

Posso ouvir conversas de longe, mas nada que me tire da minha própria paz, pelo menos não até uma onda maior me derrubar fazendo meu coração acelerar pelo susto.

Sai da água colocando a prancha sobre a areia antes de balançar meus cabelos com a intenção de secar ao menos um pouco os fios.

— já voltou a falar comigo?— ouvi o garoto perguntar quando estendi a mão pegando o cigarro de JJ — você não iria

— vocês não tem certeza disso, eu não recebi um convite — respondi sem muito humor, fui recebida hoje com muitas histórias sobre a tarde de ontem quando eles foram ao novo hotel

Eu tenho um emprego, provavelmente negaria o convite, mas eu queria ter sido convidada

— Você tá péssima — Kiara acusou me arrancando um sorriso

— Você só diz isso porque está sempre perfeita — aproveitei para elogiar a garota que mexe com o coração não só de um garoto desse grupo, mas sim com os três

Talvez com os de três garotos e uma outra garota, mas isso é conversa para outra hora

— vai fazer o que hoje?— JJ me perguntou e eu pensei por alguns segundos

— ler um bom livro embaixo dos meus cobertores enquanto ouço a tempestade — contei visivelmente animada — quer dormir lá em casa? — perguntei a Pope — consegui um livro de física quântica que, uau

— alerta de nerd — JJ arrancou risada dos amigos que não estavam inclusos no assunto

— eu ainda vou descobrir onde você consegue essas coisas — Pope se referiu aos livros

— mas ele não vai, isso porque nós já combinamos que beber lá em casa hoje — John estragou nossos planos — já até compramos a cerveja

— eu tinha me esquecido — comentei esticando a mão para alcançar a minha camiseta e a vesti vendo o tecido terminar antes de cobrir minhas coxas — eu levo a vodka

Caretas

— tá, eu também não gosto de vodka. Mas aquela garrafa que roubamos naquela ideia idiota de invadir a casa dos Cameron tá ainda escondida no fundo do meu armário, uma hora alguém vai ter que beber

— essa hora vai demorar muito, muito mesmo — John sorriu me fazendo retribuir no mesmo instante

— eu preciso ir ajudar meus pais a preparar a peixaria pra essa noite, depois um banho e encontro com vocês — avisei juntando minhas coisas

— quer que eu vá com você?— JJ perguntou e eu revirei os olhos com a exagerada proteção

— a não ser que queira passar o resto da tarde limpando peixes — brinquei me afastando enquanto verificava as notificações em meu telefone, mas nada foi interessante o suficiente para prender minha atenção

Opostos - Rafe CameronOnde as histórias ganham vida. Descobre agora