Capítulo 1

22.8K 1.8K 1.8K
                                    


Jhon B insistiu para me acompanhar até em casa como sempre faz, mas por algum motivo hoje eu neguei.

Meus pais são proprietários de uma peixaria que não fica muito longe do castelo, mas que também não é exatamente ao lado.

Caminhei atenta na noite e no céu estrelado, com um pouco de tempo tenho certeza que poderia achar nele desenhos assim como nas nuvens do dia e poderia buscar significados bobos para cada um deles.

Nem sempre esses acontecimentos são resultados da maconha e sim de uma imaginação muito fértil para um lugar tão pequeno como outer banks.

Os pensamentos de uma mente que ao mesmo tempo que quer conhecer o mundo deseja estar ali, no aconchego do seu lar com a família que apesar de tudo está ali e os amigos que não te deixariam por nada nesse mundo.

Uma pessoa totalmente acomodada que acha que pode conhecer o mundo sem deixar nada para trás, bobo, né?

Levantei o pescoço e inalei o ar da noite deixando um sorriso surgir em meu rosto, uma sensação estranha de que algo aconteceria mesmo não tenho ideia do que. Ou se é bom ou ruim.

Meu sorriso se desfez aos poucos quando a moto de Barry parou no caminho entre eu e o meu destino

Sem capacete pude ver seu sorriso aumentar

— perdida?

— eu não iria estar se soubesse que encontraria você, já estaria em casa a horas — respondi de braços cruzados — eu não estou te devendo nada

— eu sei, deixei um presentinho pra você — meu coração gelou, ele não deixou drogas com os meus pais, deixou — a gente se vê gatinha

Não respondi mais nada já que bastaram segundos para que a moto passasse por mim em alta velocidade

Eu nunca fiquei devendo para Barry, não diretamente já que muitas das vezes junto as minhas economias as de JJ para conseguirmos o que precisamos sem que John B surte

O garoto acha que eu devo me meter longe de problemas por mais que não exite me envolver neles, não que eu esteja reclamando, é legal alguém estar sempre comigo como um irmão

Mas é insuportável como imagino que deva ser para quem realmente tem um.

Balancei as chaves entre meus dedos já não tão encantada com se a beleza da noite tivesse desaparecido em um piscar de olhos ou melhor em um sorriso nojento.

A alguns metros já fiquei apreensiva com o que me esperava em casa e me assustei quando vi que não era algo, alguém estava ali, estirado sobre o chão.

Me ajoelhei podendo reconhecer o rosto de Rafe Cameron, desacordado o garoto tinha a respiração pesada e o rosto ensanguentado.

— Rafe?— o chamei balançando com cuidado o seu corpo e olhei pela rua vazia — merda

— Naya — ele disse com a voz um pouco carregada

Eu sei que o hospital não é uma escolha, para mim não seria

Ser levada ao hospital após apanhar de um traficante me renderia mais um algum tempo por lá

— eu preciso que você não faça barulho e me ajude a te ajudar — pedi  e ele assentiu, a situação deveria estar péssima para que Rafe não gritar comigo frases como "não encosta em mim sua pogue"

Ele também não disse nada enquanto em silêncio apoiando seu braço em meu ombro caminhamos até o meu quarto, onde ajudei Rafe a se sentar enquanto buscava uma caixa de primeiros socorros e um copo d'água

— por que está fazendo isso? — Rafe perguntou como se não estivesse acreditando no que estava acontecendo

— você estava ali, não precisava dizer nada para deixar claro que precisava de ajuda — eu disse de pé entre suas pernas limpando com cuidado os ferimentos que não eram fundos o suficiente para pontos

— e você só resolveu ajudar — dei de ombros com sua suposição

— as coisas são assim, alguns precisam de ajuda e as outros ajudam — aquela frase é comum para mim, eu fui criada para pensar assim

Mas todo mundo sabe que Rafe não, toda outer banks sabe o completo babaca que é Ward Cameron é.

— e assim você consegue o seu lugar no céu?— apertei o algodão fazendo-o xingar baixinho pelo comentário maldoso — os seus amigos não vão gostar disso

— os meus amigos sabem como eu sou e os seus? Inclusive, eu devo ligar para o Topper?

— não — me repreendeu no mesmo segundo — ele já tem problemas demais, vamos deixar isso entre nós

O Cameron estendeu a mão na minha direção e eu a segurei, sem saber que muito mais que isso ficaria entre nós

Opostos - Rafe CameronOnde as histórias ganham vida. Descobre agora