Prólogo

37.4K 2.4K 206

Olá, princesas!! Vamos começar nossa aventura no mundo do rock? 

Prólogo quente, muito quente...rss.

Bjokas,

Lani

PRÓLOGO

 

Melissa

_ Sinta o meu pau afundando em você, baby. _ ele enrolou e puxou meus cabelos da nuca e foi metendo devagar. Prendi a respiração, enquanto seu pau me rasgava até o fundo. Meu corpo tremia, enlouquecido, desejoso. Gritei quando bateu em mim, sua pélvis se chocando em minha bunda. Minha nossa! Ele era grande. Muito grande e espesso. Nunca me senti tão cheia. Seu pau se alojou em meu útero, abrindo um espaço que nunca havia sido tocado. _ porra! Que gostosa! Minha fantasia se realizando. Estou fodendo a boceta dos meus sonhos, cacete! _ rangeu os dentes.

_ Ohhh! Liam... _ gemi. Ele riu bem na minha orelha, mordendo e chupando o lóbulo. Tirou quase tudo e voltou numa estocada forte. _ oh! Meu Deus! _ eu estou quase gozando com apenas duas estocadas. Isso é o quanto sou louca por esse homem. Ele elevou uma perna por cima do meu quadril e me fodeu. Realmente me fodeu. Seu pau entrando fundo, muito fundo, batendo em mim sem trégua. Ah! Cristo! Nunca me senti assim. Nunca fui tomada assim. Ele metia girando o quadril tocando cada nervo necessitado da minha vulva. Eu estava completamente esticada em volta dele. Era quase doloroso, mas absurdamente delicioso. Nossos gemidos e rosnados enchiam o quarto. Os sons de nossas pélvis se chocando tornando tudo real. Ele me comeu esfomeado, furioso, extravasando todo o desejo reprimido, proibido.

_ Ahhhh! Porra! Você tem uma bocetinha tão apertada! _ grunhiu em meu ouvido e desacelerou os golpes, me fodendo devagar, bem devagar. _ tem ideia do quanto quis fazer isso? _ puxou mais meus cabelos, inclinando minha cabeça para trás, meu corpo arqueando dolorosamente. Seu pau me castigando num ritmo torturante e lento. _ eu sempre soube que seria assim, doce Mel. _ sorriu e meteu com força. Gritei, insana. _ você sempre quis isso também, não é? Diga! _ rosnou me comendo com golpes brutais agora. Eu estava completamente dominada por ele. Seu corpo grande, duro e musculoso se chocando contra o meu, consumindo-me, exigindo tudo que não pudemos fazer por tanto tempo. _diga, porra! Fale o quanto queria meu pau assim, enterrado até as bolas nessa sua boceta gostosa! _ sua mão desceu num tapa forte na minha bunda. Assustei-me. Ele riu, um som cheio de luxúria e perversão. _ fale o quanto queria me dar essa boceta, Mel! Fale, porra!

_ Ohh! Sim! Porra! Eu queria muito! _ explodi. Ele riu mais, lambendo minha orelha. Gemi, rebolando, encontrando-o em cada estocada brutal, deixando-me ser fodida duramente por ele. Seu aperto afrouxou na minha nuca e fui empurrada para baixo, ficando de quatro. Suas mãos acariciaram minhas costas, as unhas arranhando minha pele e fiquei louca. Eu estava quase lá. Ele sorriu conhecedor e desacelerou de novo. Merda! Cravou as mãos em minha bunda, abrindo-me, deixando-me totalmente exposta. Fiquei imediatamente tensa quando um dedo sondou meu ânus. Era só uma carícia leve, fazendo círculos, mas me inquietou.

_ Ora, ora, você nunca foi fodida aqui, minha doce Mel? _ ronronou, entre divertido e sacana. Continuou circulando meu orifício, enquanto metia o pau devagar em mim. _ eu vou amar comer seu rabinho virgem. _ disse num tom tenso e cuspiu no meu buraco. A próxima coisa que senti foi seu dedo forçando passagem. Tentei sair do seu domínio, mas ele segurou meus quadris com força e voltou a me foder furiosamente. Gemi, meu orgasmo voltando a se formar em meu ventre. Incendiei com seus rosnados. Eu teria marcas dos seus dedos em meus quadris amanhã, mas eu não me importava. _ será que você quer gozar no meu pau? Peça-me! Peça para gozar no meu pau! _ Deus! Ele era muito intenso na cama. Não vou conseguir esquecê-lo depois disso. Nunca.

_ Por favor! _ gemi de frustração quando ele parou os movimentos.

_ Por favor o quê? _ riu e seu dedo voltou para meu ânus. Antes que pudesse me preparar enfiou-o todo. Gritei. _ relaxe, baby. _ ronronou em meu ouvido. Gemi. Ah! Deus! Sua voz devia ser ilegal de tão sexy que é. _ isso, assim, me deixe mostrar a você o que esteve perdendo, minha gostosa. _ fui relaxando, acrescentou outro dedo. Entrou apertado, rasgando e ele voltou a meter na minha vulva latejante. Sua mão livre foi para meu clitóris e eu me desfiz, deixando esse homem indecentemente lindo e sexy me foder como queria.  _ porra! Que rabinho lindo e apertado. _ grunhiu, enquanto violentava meus dois buracos. _ você vai dar ele pra mim, baby? _ ronronou e manipulou meu clitóris habilmente. _ vai me deixar meter meu pau até as bolas e gozar bem gostoso todo enterrado nele? Vai ser tão malditamente perfeito, Mel. Você, minha. Completamente minha, porra! _ gritei alto, suas palavras sujas me fazendo selvagem. Nunca me senti tão desejada, tão sexy e tão livre no sexo. _ peça, baby! Peça para eu te foder assim, bem duro! Te comer de todas as formas! Peça, porra! _ caramba! Uma barreira se rompeu dentro de mim, me transformando numa criatura devassa e eu gritei:

_ Ohhhh! Liam! Oh! Deus! Sim! Por favor, me foda, baby! _ Ele rosnou e aumentou o ritmo me comendo impiedoso. Seu grande pau rasgando minha vulva já ardente. Meu ânus sendo esticado e fodido pelos seus dedos.

_ Isso, baby! Eu sempre soube que você tinha esse fogo aí dentro. _ me rasgou numa estocada que me tirou o ar. _ você sempre quis me dar assim. Sempre quis ser a minha putinha suja, safada. Toma meu pau, porra! Toma ele todo nessa boceta gostosa do cacete! Você é minha! _ meteu furiosamente em mim e eu quebrei gozando. O orgasmo mais intenso que já senti me rasgou ao meio. Começou no ventre e se espalhou por cada célula do meu corpo. Convulsionei, gritando o nome dele, enlouquecida, entorpecida de prazer. Eu não sabia que podia ser assim, tão forte, intenso. Agora entendo a expressão um orgasmo de tremer a terra. _ isso, goze, baby! Goze no meu pau! Goze bem gostoso, cacete! _ sua voz foi muito tensa e rouca e ele saiu de cima de mim, me virando no colchão. Arreganhou minhas coxas e meteu com tudo de novo. Elevou meus braços acima da minha cabeça. Seu rosto perfeito ficou a centímetros do meu. Os olhos azuis fumegantes presos nos meus. Sua expressão tensa dizia que estava na borda. _ você é tão linda! Porra! Tão linda e gostosa e eu sempre fui malditamente louco por você. _ gemi. Como era possível estar me excitando outra vez quando meu corpo ainda está mole do prazer sem precedentes que ele me deu? _ sabe o que vai acontecer agora? _ chupou meu lábio inferior e o mordeu depois. Arqueei as costas, abraçando-o com as pernas, tomando suas estocadas profundas que me sacudiam toda. Sua boca desceu pelo meu pescoço e abocanhou meio seio esquerdo. Serpenteou a língua no mamilo duro, rodeou a auréola. Gemi. Rosnou e chupou duramente. Seu pau batendo incansável em mim. Sua boca subiu outra vez e chupou meu pescoço, seus lábios quentes e macios me fazendo gemer e gemer. Caramba! _ eu vou viver em cima de você! Um mês inteiro assim, dentro de você, porra! Ah! Cacete! Que bocetinha deliciosa... _ rugiu sua boca voltando para a minha. Nossos hálitos se misturando. _ ohhhhh! Porra! Eu vou gozar! Que gostosa... _ Seus olhos me prenderam, hipnotizando. Rasgou-me mais duas vezes com golpes duros e uivou, seus olhos não deixando os meus em nenhum momento enquanto gozava dentro de mim. Gemidos roucos escaparam dos seus lábios para os meus. Foi a coisa mais linda e sexy que já vi na minha vida. E eu estava pronta. Loucamente excitada outra vez. Sua boca tomou a minha num beijo lento, sua respiração ofegante. Nossos corações batendo em uníssono. Ele soltou meus pulsos e eu o puxei pelo pescoço. Riu contra meus lábios e passou a comer minha boca. Chupando, mordiscando. Sua língua habilidosa lambendo cada recanto da minha boca, ainda me fodendo com estocadas lentas. Minha. Nossa. Senhora. Que homem é esse?

Incontrolável (degustação)Leia esta história GRATUITAMENTE!