E i g h t

41.5K 3.8K 5.5K
                                    

VINNIE HACKER, point of view.

Acordo com o despertador berrando em minha mesinha de cabeceira e contra a minha vontade me levanto, trupicando em meu tênis que esta jogado no chão do quarto e por pouco não indo de cara com o chão.

Merda, porquê diabos eu fui beber tanto ontem?

Caminho lentamente até o meu banheiro e faço minhas necessidades, depois parando em frente ao espelho e soltando um riso fraco ao ver o pequeno arranhão em meu rosto. Devora mais nova não poupou força na hora de me descer um tabefe no meio da cara.

Bem, eu não a julgo. Fui um tremendo idiota ao falar aquilo na frente de todos. Culpa da bebida, pois se estivesse sóbrio jámais teria falado aquela merda.

De madrugada, depois da garota sair correndo Nailea quase me arrebentou, se não fosse por Liza ter a segurado com certeza ontem teria levado bem mais que só um tapa na cara.

Devora mais velha me xingou de todos os palavrões possíveis. Assim como meus amigos, que repreenderam totalmente a minha atitude e me fizeram ir atrás de Sienna.

Apesar de ter apanhado e de quebra levado uma dedada, não me arrependo de ter a beijado. Sienna tem um beijo delicioso e um cheiro maravilhoso. Preciso confessar que saber que ela tem aqueles tipos de pensamentos comigo, de certa forma me excita. Mesmo sabendo que é errado, por ela ser de menor.

Escovo meus dentes e por fim resolvo sair de meus pensamentos e tomar um banho. Visto um moletom de preto e uma calça jeans colada com alguns rasgos nas coxas e nos joelhos. Passo meu perfume e coloco meus acessórios, por fim calçando meus tênis e pegando minha carteira junto de meu celular, saindo do quarto.

- Bom dia minha gata! - Cumprimento minha mãe com um beijo na bochecha.

- Bom dia querido. - Fala sorrindo e sorrio de volta, pegando uma torrada na mesa e me virando para Reggie que desce as escadas com a cara amassada e usando apenas uma calça moletom preta.

- Aí esta meu garoto transudo! - Falo alto e minha mãe arregala os olhos me olhando, deixando a torrada que estava levando a boca cair em seu prato novamente.

- Brincadeirinha mamãe. - Falo sorrindo cínico e Reggie me olha feio, provavelmente puto por eu ter falado isso em frente à nossa mãe.

Ela odeia que qualquer um de nós dois traga garotas para cá. Quando eu digo isso, me refiro a trazer garotas para transar.

- Subi cedo de mais ontem. - Meu irmão mais novo, mente na cara dura. - Sabe me dizer quem levou a Sie embora? - Pergunta e engulo em seco. Se ele souber a merda que fiz ontem, ele vai querer me matar.

- Eu levei ela. - Dou de ombros e Reggie para no mesmo segundo de servir o seu café, me encarando sério. - O que foi?

- Que merda você esta fazendo Vinnie? Você mal conversava com ela antes, agora está todo cheio de intenções pro lado dela. - Meu irmão diz e sorrio malicioso, lhe lançando uma piscada.

Eu amo provocar ele. Mesmo sabendo que corro o risco de perder alguns dentes.

- Eu estou de olho em você, seu babaca! - Diz firme e reviro meus olhos, me levantando e pegando as chaves de meu carro.

- Chupa meu pau Reggie. - Digo pegando mais uma torrada e saio correndo, gargalhando ao escutar minha mãe se engasgar com o café e gritar meu nome por completo.

[...]

- Apareceu o vacilão. - Jett, fala quando entro em seu apartamento. Encontrando Gray, e Dj sentados no sofá da sala.

- Oi amigos. - Falo, me jogando na poltrona vazia que tem ao lado do sofá.

- Oi o meu pau. Vai direto ao ponto, se acertou com a prima da Nailea? - Gray, questiona. Ele não estava ontem na social, mas com toda certeza os garotos já lhe contaram sobre a mancada que eu dei.

- Sim... na verdade, não sei. - Falo confuso. - Eu beijei ela.

Digo, e Jett que estava na cozinha deixa seu energético na mesa e vem até a sala, me olhando com uma expressão um tanto engraçada.

- O que? Como assim? - Indaga meu melhor amigo.

- Como assim você faz a garota chorar e depois beija ela? Explica isso direito Vinnie! - Dj, fala sem entender e reviro meus olhos.

- Calma porra. - Resmungo. - Eu fui atrás dela, encontrei ela subindo a rua sozinha, ela não quis entrar no carro por vontade própria, então eu peguei ela e coloquei dentro do carro. Levei ela até em casa, nisso tentei me desculpar mais uma vez e ela não ligou e desceu do carro. Aí eu pensei 'na merda eu já estou, não tem como piorar.' Então eu fui até ela e fiz o que eu queria fazer a um bom tempo. Beijei ela. Depois do beijo ela me deu um belo tapa na cara. - Aponto para o arranhado em minha bochecha. - E bateu a porta da casa dela na minha cara.

Finalizou o pequeno resumo da história e meus amigos caem na gargalhada, me fazendo revirar os olhos irritado.

- Bem feito! - Gray, fala entre gargalhadas.

SIENNA DEVORA, point of view.

Respiro fundo mais uma vez e cubro meus ouvidos com o travesseiro, tentando abafar os gritos e barulhos de coisas se quebrando no andar debaixo

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

Respiro fundo mais uma vez e cubro meus ouvidos com o travesseiro, tentando abafar os gritos e barulhos de coisas se quebrando no andar debaixo.

Meu pai para variar saiu pra encher a cara durante a madrugada, e chegou bêbado em casa. Eu estava na cozinha tomando café, quando ele abriu a porta bruscamente e simplesmente surtou tentando me bater.

Por sorte, minha mãe apareceu bem na hora e entrou na frente, empurrando ele e o derrubando no chão.

A pedido dela subi as escadas correndo e me tranquei no quarto, escutando agora a bagunça no andar de baixo, onde eles provavelmente estão se batendo ou tacando coisas um no outro.

Deixo o choro preso em minha garganta sair e me levanto ligeiro, pegando meu celular e enviando mensagem para meu melhor amigo com um pouco de dificuldade por não estar enxergando quase nada, por conta das lágrimas. Peço socorro a ele e em menos de um minuto, Reggie responde que está vindo me buscar com sua mãe.

DIARY | vinnie hacker Onde as histórias ganham vida. Descobre agora