Capítulo 01 - Entre gritos e sussurros

5.3K 207 54

- Estes são os guerreiros de Mylstain! O futuro de nosso reino! Olhem, respeitem e temam o coração da Armada Oficial!

As palavras do rei Kyrtoldrell foram seguidas por um público extremamente inflamado, ovacionando os guerreiros em seus cavalos brancos enfeitados com bandeiras. Eram seis cavaleiros.

- Seu pai sempre é assim, não é? – perguntou, sorrindo, uma moça de cabelos curtos virando-se ao guerreiro ao seu lado. – Ele tem muita confiança em você.

A jovem usava uma roupa leve; os cabelos eram tão negros quanto a noite sem lua e sem estrelas. Cavalgava o primeiro cavalo da fila, ao lado de outro cavaleiro da comitiva.

Este, com uma faixa vermelha amarrada na nuca cruzando a testa, tentava sorrir, constrangido, em resposta aos aplausos e toda a gritaria daquelas pessoas prestes a explodirem em entusiasmo.

- E o pior é que é. Ele é assim mesmo... – respondeu o jovem da faixa vermelha. Seus cabelos loiros e arrepiados lhe davam um aspecto um tanto selvagem, diferente do esperado de um príncipe.

Era impossível negar, entretanto, sua vida cheia de riquezas. Sua aparência era bem diferente do restante daquelas pessoas gritando ao redor – quase todos apresentavam cabelos secos e bem menos cuidados. Não apenas os cabelos, mas as roupas surradas ajudavam a denunciar a vida difícil da plebe daquele reino.

- Não implique com seu pai, comandante... Esses homens e mulheres precisam acreditar em heróis. – A voz dura e autoritária de uma mulher que vinha atrás da dupla, também montada, assustou os dois. – E não deixe o príncipe constrangido, Celine...

Esta outra mulher era mais velha que Celine – a jovem de cabelos curtos e negros –, e também apresentava cabelos curtos, mas eram dourados. Estavam arrumados de forma a deixar cair uma grande franja cobrindo seu olho esquerdo. Além disso, apresentava a maior estatura do grupo. Mesmo sentada, era possível estimar uma altura de mais de dois metros. Por fim, suas armaduras eram de aço e pareciam mais completas e pesadas que as dos outros.

- Ok, Isa... Só vamos sair da cidade e acabar logo com isso. – O príncipe ajeitou a faixa vermelha na testa e passou a mão pelos cabelos, os dedos fazendo um caminho pelos fios lisos e arrepiados.

Depois de vários minutos em desfile, estavam quase vencendo a longa avenida que ligava o castelo até a extremidade oposta da capital, dando em um grande e formidável portal com os dizeres "Mylstain, Reino Humano do Norte, Reino Humano da Força".

Antes de deixarem a cidade, no entanto, o príncipe ouviu uma voz rouca e grave em meio aos gritos descontrolados da multidão:

- Não se engane, jovem. Isso não vai acabar bem.

Era Perdida: O Globo da MorteLeia esta história GRATUITAMENTE!