Quando sai da lanchonete, fiquei caminhando por horas, eu não estava mais nem ai para aquela lanchonete, eu sei que o trabalho me espera, mas Jake passa dos limites. Eu caminhava sem rumo, até decidir para onde iria, eu iria ver Alex, e descobrir porque minha família corre perigo se eu voltar, se é que isso é verdade.

-Alex. - falei de olhos fechados quando entrei no bosque, e quando abri eu vi ele. O amor de minha vida, aquele amor proibido. Aquele que é "mau", ou apenas parece ser. Eu sem hesitar, abracei-o, abracei o mais forte que pude. - eu senti tanto sua falta. - falei olhando para cima, afinal ele é alto não é?

- Eu também Hilary, não esperava te ver aqui.-Falou me olhando fixamente nos olhos. Eu sentia sua respiração junto da minha.

- Alex me beija. - Falei de olhos fechados, quando senti seus lábios ao meu. Aquele lábio frio que eu senti tanta falta, aquele beijo mais perfeito e delicado do mundo. Aquele beijo apaixonado, quando ele encerrou me olhando desconfiado. - O que há? -Perguntei.

- Você aparece aqui do nada, me pedindo beijo -disse desconfiado -Não acha mais que sou mau?

- Não, nunca achei -menti. - É que eu me sinto sozinha e você é meu melhor amigo -forcei um sorriso.

- Hilary, se eu te contar uma coisa, você não conta pra ninguém? -Falou me olhando nos olhos e assenti. - Diga que promete -Falou receioso.

- Jake não quero que me conte algo que não queira contar -menti. A verdade é que eu queria saber de qualquer forma de tudo, ja que me escondiam tudo, mas eu pensava que Alex não escondia, a verdade é que ele também escondeu.

- Se eu te contar quem é Amélia, você não vai tentar impedi-la? -Falou receioso

-Sim. - falei sincera.

- Lembra daquela história, que eu disse sobre mim, de descansar em paz? -Falou abaixando as pálpebras -Então, eu não quero isso mais.

- Você não quer morrer mais? -Falei aliviada, pois eu não o perderia.

- Não ... eu tenho muito medo. E eu te amo -Disse quando estremeci, pois eu o amo também, mas não diria isso.

- Alex, não podemos ficar juntos. - Afirmei.

- Hilary o que houve com você? - Perguntou chateado.

- Você está morto, eu quero ter uma casa, uma família, e tem mais... quero sexo de verdade, não uma simples ilusão, mestre do ilusionismo -Falei incrédula e ele me olhou tristonho. - Desculpa - murmurei -falei sem pensar. - pausei -Pode me contar, eu não vou fazer nada para te prejudicar -falei.

- O que posso dizer é que... Amélia está mais próxima do que você imagina -disse com aquela voz rouca e desapareceu.

- Falando sozinha? -Perguntou Matt aparecendo e me assustando.

- Você é Amélia ! Mas é claro !- falei incrédula.

- Mas hein? -Falou sem entender

- Não, não pode ser você, pelo que eu sei ela só encarna em mulheres. - Falei.

- Claro que não sou Amélia -disse ele rindo.

- Senti tanto sua falta -falei correndo abraça-lo.

- Eu também anã -debochou.

- Matt, eu quero voltar, logo. - Falei desesperada.

- Você está fazendo o que aqui? - Disse me olhando

- Eu só vim... - pausei - a nada, sinto saudades daqui. - menti.

- Ah, logo você está de volta! -Disse tentando me animar.

Espíritos MalignosLeia esta história GRATUITAMENTE!