Capitulo 8

626 38 28

   Chegamos a boate cerca de 20 minutos depois de saírmos de casa e ela estava lotada e com uma fila quilométrica do lado de fora mas os Lessan pareceram não se importar e me puxaram até a porta onde os seguranças liberaram nossa entrada. O jogo de luzes era forte e a música extremamente alta, no canto esquerdo ficava o bar e mais pra frente no meio, a pista de dança. Gabriel me carregou até o bar e pediu algo que eu não ouvi, Arthur se apoiou ao meu lado e também fez seu pedido, eu até queria beber mas na hora me lembrei do Otávio dizendo que me encontraria quando eu já tivesse bebido e desisti, não queria uma cena. Puxei Arthur mais pra perto.

   - Vem dançar comigo. - falei em seu ouvido.

   - Espera a bebida chegar pimenta. - respondeu sorrindo

   - Agora. - fiz cara de gatinho do Shrek e sabia que tinha ganho.

   - Vem, vamos. - ele disse me puxando pro meio da pista.

   As batidas reverberavam dentro de mim e eu deixei a música me levar. Desde que parei com a torcida não me sentia muito a vontade pra voltar a dançar, mas a dança, independente do ritmo sempre fez parte de mim. Começei devagar pra Arthur me acompanhar mas ele dançava tão bem que quando dei por mim ele já estava com as mãos na minha cintura e parecia até que tínhamos ensaiado. Eu virei de costas pra ele, apoiando minha cabeça em seu ombro e suas mão desceram um pouco até os meus quadris me incentivando a continuar dançando, Arthur colocou a boca perto do meu ouvido e começou a cantar a música desconhecida pra mim só pra morder o lóbulo da minha orelha depois. Eu sorri sentindo um arrepio percorrer a minha coluna e me virei, se alguma coisa acontecesse hoje eu me arrependeria com toda a certeza por isso não deixei a dança durar muito mais e puxei-o pra fora da pista em direção ao bar.

   Quando nos encostamos no balcão senti os olhos glaciais de uma loira se pregarem em nós durante uns cinco minutos até ela decidir vir conversar.

   - Oi Art.- ela disse sorrindo com aquela boca vermelho sangue, se adiantando para dar um beijo nele mas Arthur a impediu.

   - O que faz aqui Brianna?- ele não parecia feliz em vê-la.

   - Vim na esperança de te achar aqui, amor. Quem é essa?- Briana perguntou acenando com descaso pra mim.

   - Ela é a... - eu o cortei antes de terminar, achei que ele precisava de ajuda.

   - Namorada dele. Olívia, muito prazer! Acho que nunca ouvi falar de você querida.- disse sorrindo vitoriosa ao perceber que o olhar dela endureceu sobre mim.

   - Nem eu de você. - Brianna respondeu desdenhosa me deixando de lado e focando Arthur - Engraçado que quando te liguei você não mencionou sua namoradinha.

   Art colocou seu braço esquerdo sobre meus ombros de maneira quase protetora, beijou meus cabelos e respondeu.

   - Eu já te queria fora da minha vida antes da Olívia aparecer, se você não tinha percebido é outra história, de qualquer forma não usaria minha namorada de desculpa pra te enxotar. Queria deixar claro que eu não tenho vontade de te ver e muito menos de ficar com você.

    Vi os olhos dela se inundarem de lágrimas mas ela tinha que se fazer de forte ali então respirou fundo, ajeitou o cabelo, sorriu nos dando as costas e foi em direção aos banheiros. Esperei ela sumir em meio a multidão e encarei Arthur.

   - É bom que você explique o que aconteceu aqui. - falei analisando-o.

   - Hã... - ele desviou os olhos dos meus - Uma ex ficante... - respondeu já me puxando pra pista de dança outra vez. Mas antes que ele me enfiasse na multidão, puxei meu braço do seu aperto e o fiz parar.

LivyLeia esta história GRATUITAMENTE!