1. Primeiro dia

18 0 0

AHEO MAIS UMA HISTÓRIA NO WATTPAD. Espero que vocês gostem, fiz com muito  amor. Leiam, releiam, indiquem, compartilhem, façam tudo com essa história. Ah, não esqueçam de comentar, se gostaram e se não gostaram também, comentem oque eu devo melhorar. E é só.  BEIJOOOOSS BOA LEITURA POVAO. VALEU FALOU

Eu acordei com o despertador do meu celular tocando um barulho insuportável e irritante (só assim pra mim acordar). Abri os olhos e não reconheci onde estava, logo depois me lembrei que tinha me mudando, sentei na cama, peguei minhas pantufas do lado da cama e fui fazer minhas higienes, tomei um banho, me vesti, coloquei uma calça preta, a blusa da escola,coloquei meu tênis,peguei minha mochila e desci.

Eu: Bom dia mãe -disse pegando o copo de suco que estava na bancada.

Mãe: Bom dia, dormiu bem filha?

Eu:  Dormi sim, agora eu vou lá mãe, beijo.

Mãe: Não quer que eu te leve?

Eu: Não, eu aprendi o caminho já Mãe: Então tá, vai com Deus, boa aula.

Fui andando até a escola, as ruas eram bonitas, pessoas diferentes, e só de lembrar que eu vou ter que falar inglês com as pessoas.  É nessas horas que eu agradeço por ter aturado aquela professora chata do curso de inglês. Quando percebi já tinha chego na porta da escola, estranho, não tinha ninguém, olhei a hora no celular, tinha chego muito cedo, entrei e fui até a biblioteca. Não achei nenhum livro que me interessava até que o sinal de entrada tocou. Que barulho chato. Eu não conhecia ninguém, e não sabia onde era a minha sala, até que sinto alguém encostar em meu ombro. Me virei e vi uma menina meio ruiva, baixinha de olhos claros.

Xx: Alexia?

Eu: Sim.

Xx: Prazer, meu nome é Sofia. -ela disse me estendendo a mão.

Sofia: Você é nova aqui né?

Eu: Sim, eu sou do Brasil, me mudei pra cá esse ano.

Sofia: Me conta essa história depois, vamos pra aula se não o professor não vai nos deixar entrar na sala

Eu: ok

Nos entramos na sala, Sofia sentou lá na frente com uma amiga dela. Eu preferi sentar atrás, as cadeiras estavam todas ocupadas e só sobrava um lugar ao meu lado. Então o professor começou a aula.

Professor: Bom dia, vejo que aqui tem rostinhos novos, quero que vocês se apresentem. -Ele disse pegando a chamada. -hum.. Alexia? Esta aí?

Eu: Aqui professor!

Professor: Então Alexia, você.. - EI PROFESSOR POSSO ENTRAR? -dizia um menino bonito, alto,  moreno com um olhar sedutor interrompendo o professor.

Professor: Pode, claro, só tem um lugar ao lado da Alexia, ali atrás,sente ali. O menino sentou ao meu lado jogando a mochila em cima da mesa.

Professor: Continuando, então você é nova aqui Alexia?

Eu: Sou sim.  E assim ele foi continuando a chamada. O menino que estava ao meu lado cochichou pra mim

Xx: Oi, Alexia né? Prazer, meu nome é Max.

Eu: Gostei do nome. -disse fazendo uma carinha amigável.

Max: Valeu.

A aula passou bem rápida, quando me deparei já estava tocando o sinal da saída. Guardei meu material e ia andando pelo corredor quando alguém puxou meu braço, me virei pra ver quem era, ah, Max.

Eu: Oi Max.

Max: É.. você vai fazer algo hoje as 20h?

Eu: Pretendo não fazer nada, a não ser que minha mãe queira sair.

Max: Ah, caso você não for fazer nada você aceita da uma volta comigo?

Eu: Como assim uma volta?

Max: Ah, tomar um suco, ir na praça conversar, sei lá..

Eu: Ah, pode ser.

Max: Encontro você na praça às 20h - apenas arcenei com a cabeça e saí.  Estava andando até a minha casa quando vejo que Max estava do outro lado da rua, percebi que ele me viu, alguns passos a frente ele atravessou. Vindo a minha direção.

Max: Então quer dizer que você também mora por aqui.

Eu: Moro, naquela casa branca ali.  -disse apontando pra minha casa.

Max: Sério? Eu moro na casa ao lado. Eu: Nossa que legal, tem uma semana que me mudei pra cá e não te vi por aqui, talvez seja porque sou muito caseira, não saio muito de casa, desde quando morava no Brasil.

Max: Você morava no Brasil? Que legal. -Ele disse parando na porta  da minha casa.

Eu: Sim.

Max: Quando eu for pra praça eu passo na sua casa antes ok?

Eu: Pode ser

Max: Tchau. Logo em seguida ele me deu um beijo, começou me selando, depois pediu passagem pra língua, e eu dei. Foi um beijo bom, calmo e como seus lábios eram macios, paramos por falta de ar.

Max: Me.. me.. me desculpe, eu não poderia ter feito isso. 

Eu: Calma, não tem problema eu gostei.

Max: VOCÊ GOSTOU?

Eu: Sim.

Max: Hum, eu também, é.. tchau.

Eu: Tchau. Abri a porta,  entrei em casa,  toquei minha mochila no sofá e me joguei no mesmo. Depois sentei,  tirei meu tênis e subi pra guardar as coisas, se minha mãe chega do trabalho  e ver que as coisas estão jogadas na sala ela me mata. Tomei um banho e desci pra comer, fiz uma pipoca e peguei um copo grande e enchi de refrigerante, se minha mãe visse isso ela iria me matar,  mas como ela não estava em casa. Comi a pipoca assistindo um filme.

A NOVA VIDALeia esta história GRATUITAMENTE!