Capítulo - 6

441 32 0

Fechei meus olhos e adormeci. Na manhã seguinte quando abri meus olhos ele estava abraçado a mim, eu queria tanto ter a força de odia-lo do mesmo jeito que ele conseguia me tratar com frieza, mas eu não conseguia eu gostava de mais daquele... indivíduo que estava abraçado a mim naquele momento.
Mexi-me um pouco para acomodar-me, fazendo-lhe despertar naquele exacto momento. Ele abriu os olhos com calma e começou a encarar-me. Fui me afastando, fazendo seus braços abrirem-se. 
Lexus: Vai tomar banho, você não pode faltar às aulas. - Ele falou, como se estivesse a ordenar e eu simplesmente obedeci-lhe, não queria discutir mais.
Anabella: Está bem, eu vou já. - Levantei-me da cama e fui em direcção ao banheiro, sem dizer nenhuma palavra.
Entrei na banheira, fiquei lá uns 15 minutos a pensar em tudo que havia acontecido. Coloquei o roupão e fui para o quarto. Ele olhava para mim e não dizia nada, isso era normal porque ele sempre fazia isso, mas dessa vez era diferente, porque dessa vez ele parecia abalado. Ele levantou-se e veio na minha direcção, e deu-me umas roupas que eu nunca tinha visto.
Lexus: Não precisa olhar dessa forma, as roupas são suas. - Ele disse olhando para a cara estranha que estava a fazer.
Anabella: Minhas?! Não me lembro de ter deixado roupas aqui. - Respondi um pouco confusa com a situação.
Lexus: Sim, suas. Eu havia comprado para ti. Agora por favor veste e desce para comer. - Ele deu as ordens e saiu do quarto.
Peguei nas roupas e atirei-as na cama. Peguei em um vestido simples, com mangas curtas, e algumas flores no seu estampado, o vestido era branco e um pouco rodado. Vesti-me e desci. E dessa vez a casa estava silenciosa e não havia ninguém, excepto eu e ele. Fui para a cozinha e encontrei-lhe a acabar de colocar a mesa, tentei ajudar e ele mandou-me sentar. Ele acabou de colocar a mesa e subiu para tomar banho. Ele desceu com as minhas coisas e entregou-me, enquanto eu calçava, ele comia alguma coisa.

No carro ninguém falava nada, ele pôs música e eu foquei-me em mandar sms para a Tay.
Tay <3 - Por favor, se a minha mãe ligar para ti, diz a ela que dormi na tua casa.

BitchQueen <3 - Aonde você dormiu? Porquê que não me avisou antes? Foi tirar as teias de aranha?

Tay <3 - Isso não é importante agora, quando chegar conversamos. E já agora, quem tem teias de aranha é tua avó!!! Beijos TE AMOOOOO  aliás, FUCK YOU MO'FUCKER

BitchQueen <3 - Oh!!! Agora já mostras as garras sua Bitch de primeira categoria. FUCK U MY'FUCKER HAHAHAHAHAHA LOVE U

Lexus: Dá para parar de mexer nessa porcaria e me prestar atenção? - Ele fitava-me sério enquanto prestava atenção na estrada.
Anabella: Sim, dá. Mas para isso você precisa falar alguma coisa. - Respondi colocando o telemóvel na bolsa.
Lexus: Vais continuar a agir assim, como uma criança até quando? - Ele perguntou sem reacção nenhuma o que me fez ficar chateada.
Anabella: Você me bate e a criança sou eu? - Olhei para ele com vontade de inforca-lo.
Lexus: É criancice sim, que criança guarda rancôr de seus pais quando eles apenas tentam educá-la? - Aquilo parecia uma brincadeira, mas ele estava sério de mais.
Anabella: Você está se comparando aos meus pais?! Isso é sério? - Olhei confusa para ele. Felizmente o carro parou e desci rapidamente sem falar mais nada. Ele foi-se embora e eu fui para a sala de aulas.

Entrei na sala e sentei, pus música no telefone e fiquei a ouvir. Uma menina chata entrou na sala seguida de um rapaz alto, com uns óculos grandes, ele parecia mesmo um totó ela tinha razão.

TayaraNRD

Nem dei tempo de ela respirar, comecei logo a fazer o interrogatório.
Tay: Dormiu aonde? Com quem? Fizeram o quê? Aliás... Te fizeram o quê? - Perguntei sem papas na língua.
Anabella: Calma, não precisa ter pressa eu falo. Dormi na casa do Lexus. Com ele. Não fizemos nada e ele não me fez nada. - Ela respondeu tentando me ignorar para que parasse, mas aquele truque já não funcionava comigo eu era terrível.
Tay: Porquê que você dormiu lá? De quem era a limusine? - Continuei perguntando.
Anabella: Umas coisas aconteceram e eu precisei dormir lá. Ele mandou a limusine para me apanhar. - Ela respondeu baixando o rosto.
Tay: Nunca te perguntaste de onde ele tira tanto dinheiro para fazer essas coisas, para ter esses carros, mandar limusine, ter uma mansão... Nunca perguntaste? - Perguntei atenta as respostas.
Anabella: Se eu perguntasse ele não ia me responder, mas eu sei que ele trabalha com produção musical e etc... e para de criar suspeitas tu não o conheces. - Ela respondeu, mas eu pude ver que ela estava a pensar sobre aquilo ''Até que enfim ela vai acordar'' - pensei eu.

25 MinutosLeia esta história GRATUITAMENTE!