O voluntariado

33 3 0

#Flashback on

Uma semana antes de acabar as aulas inscrevi-me numa semana de voluntariado jovem, algo que já queria ter feito à muito tempo, mas estava sempre ocupada. Como este voluntariado seria nas ferias achei que fosse a altura certa.

#Flashback off

Nesta semana o meu pai ia trabalhar e eu ai com ele para a cidade, ele ia demasiado cedo, mas não me apetecia ir apé. A minha casa fica a menos de 1h, se for apé, mas assim sempre dava para “dar comida aos olhos!”.

Enquanto esperava pela hora do voluntariado ia beber café e ficava a ler o manual de Reiki ao pé da igreja, sentada num banco à frente de um parque para crianças, perto deste tal banco existe um café onde Afonso vai fazer entregas! Ai eu não falava com ele, aliás as nossas conversas nem eram conversas, só dizíamos “Bom dia” ou “Olá” e olhávamos um para o outro!

Bem, mas quando ia para perto desse café, ele em vez de falar com as pessoas dentro do café não! Vinha para a rua virado para mim e não parávamos de olhar um para o outro. Estes olhares era como se ganhassem voz e não precisavam de mais nada, era a nossa forma de comunicar! Poderá haver formas mais pura de comunicar do que mostrar os sentimentos com um simples olhar!?

Se não fosse para esse banco ia para um jardim onde também me podia sentar e ai tinha vista privilegiada para o costelo!

Tenho por habito escrever o que acho engraçado a nível de coincidências, sentimentos e lições de vida, nesse dia escrevi esta!

Nunca me aconteceu coisa mais estranha: Fui à pastelaria, mas esqueci-me da água então fui a outra pastelaria perto do jardim compra e ele passou por mim, vinha para me sentar no jardim, volta a passar e, ainda por cima, já o tinha visto na pastelaria.

Eu sei que neste momento o meu nível energético mudou, pelo menos estou muito mais positiva o que já é um começo e posso agradecer ao Reiki tudo o que tenho descoberto a nível “espiritual” e energético.

Estou à espera que se cheguem as 9h para ir para o voluntariado, sentada no jardim a ouvir musica, a relaxar e a sintonizar-me com a vida e com a natureza. Poder ver os castelos é voltar ao passado e não só ao meu passado mas também ao passado da nossa história, o que fomos e o que somos hoje. Para mi só importa o agora e, tudo o que é passado, é passado. Com o passado só devemos de aprender com os erros, não guardar remorsos nem raiva, tristeza ou qualquer outro sentimento que nos deite para baixo, ok se com isso aprendermos o que não devemos fazer ou a lição foi ficar mais forte, ótimo. E tudo o que está feito não se pode mudar, portanto concentremo-nos no agora, porque agora podemos agir e se por alguma razão voltarmos a cair, levantamo-nos com toda a força e pedimos ajuda se for necessário…”

Olá, desculpem só publicar este capítulo agora, mas ultimamente não tenho tido muito tempo para me dedicar à escrita. O que têm achado da História? Gostava de ter a vossa opinião! Será que Diana e Afonso iram só ficar pelos olhares??

AA

O Acaso Do UniversoLeia esta história GRATUITAMENTE!