Não era essa a minha intenção

5 1 0

   - Emmaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!!! - Gritei do meu quarto com raiva.

  - Sim? - A peste apareceu sorridente e com uma carinha inocente.

  - Pode me explicar porque estou assim? - Perguntei fulminando-a com o olhar.

  - Uhh! Você está catingosa! - Fez caretas enquanto ria.

  - Talvez porque eu estou coberta de peixe morto! - Me olhei com desgosto.

  - Éh, você devia tomar banho sabia? - Opinou.

  - Eu vou te matar! - Ameacei, faíscas saindo dos meus olhos.

  Ela riu, mas quando viu meu rosto, seu sorriso desapareceu. Arregalou os olhos e começou a correr.

  - Muahahahahah. Considere-se morta querida. - Corri atrás dela como nunca.

  - Socorrooooooo, Avery quer me matar! - Gritou enquanto descia a escada apressadamente.

  - Ninguém vai te escutar quando for enterrada viva!!!! - Desci pelo corrimão, alcançando-a.

  Me joguei em cima dela e nós duas caímos no chão.

  - Está na hora de um abraçooo! - A abracei enquanto a mesma gritava.

- Me larga, sua macaca catingosa!

Ri altamente sem soltá-la.

- O que está acontecendo aqui? Ai meu deus, Ave, você está fedendo! - Minha mãe entrou na sala e veio em nossa direção. - Quem teve a brilhante ideia dessa vez? - Ironizou.

  Emma levantou a mão, sorrindo receosa.

  - Está de castigo. - Minha mãe afirmou e depois olhou pra mim. - E você! Vai tomar um banho logo!

  Assentimos e nos levantamos. Quando já estávamos no nosso quarto, eu sorri maliciosamente pra ela e disse:

  - Você terá sua vingança, meu bem.

  Ela também sorriu e quanto eu estava indo para o banheiro, a escutei dizer:

  - Estou preparada, irmãzinha.

xxx

  Minha armadilha estava pronta. Eu a posicionaria ao lado da escada e pronto. Rosa e porpurina para todo lado, depois eu lavava o chão...

   - Emma? - Sorri vitoriosa entrando em seu quarto.

  - Claro, você pode vir aqui sim. Conversar? Sobre o que? Espero você então. - A mesma estava no celular.

- Quem era? - Perguntei, vendo que já havia desligado.

  - Éric. - Disse meio confusa.

  - Você está bem? O que esse idiota queria?- Me referi ao seu namorado.

  Odiava esse idiota. Quem ele pensava que era?

  "É melhor você não se meter no relacionamento entre eu e sua irmã, você é só uma bruxa imã de problemas." Palavras dele, não minhas.

Mas eles já estavam namorando há um ano, então eu não posso falar nada. Mas que ele é um idiota, é!

  - Ele só quer conversar Ave, eu acho que é sério pela voz dele... Acho melhor você não se meter. - Deu de ombros e saiu do quarto.

  - Por que eu iria me meter? Mas só pra avisar, meus cílios estão pesados e você sabe que quando eles ficam assim, é porque aí vem bomba. - Avisei, voltando para o meu quarto. Que raiva!

  Li tranquilamente meu livro, enquanto ouvia passos e uma campainha tocando.

  Eles não me importam! Se querem se casar, que se casem e aproveitem e fujam! Porque eu não me importo!

Tomara que ela fique com cheiro de peixe como eu fiquei! E eu que ainda pensava que iria me vingar...

  Ai meu deus, a vingança! Ela ainda está lá na sala! Eu tenho que tirá-la antes que aconteça um problemão!

  Corri depressa até as escadas ouvindo uma voz barulhenta conhecida.

  - Eu não quero nada, obrigado.

- Nem uma água? Deve estar morrendo de sede! - Minha irmã disse sorrindo e indo até a cozinha.

  Cheguei mais perto para espionar e vi o estúpido do namorado dela, tocando em seu ombro. Ela virou-se confusa e ele estava totalmente sério.

  - Temos que terminar. - Disse friamente.

  Desgraçado! Vi as lágrimas brotarem nos olhos vermelhos da minha irmã.

  - Terminar? Por quê? - Sua voz estava trêmula e eu me segurando para não ir até lá e dar um soco no rapaz.
 
  - Não sinto mais nada quando estou com você, Emma. - Continuava sem expressão.

  - M-mas...

  - Você é tão distante. Nunca me dá atenção, nunca liga pra mim e continua... Falando com aquele cara. - A olhou com desgosto.

  - Mas... Caíque é só meu amigo. - Soluçou, as lágrimas encharcando sua blusa.

  - Você escolheu ele. Essa foi sua escolha. Eu prometi te amar. Eu te dei tudo. Você só me decepcionou. - Disse pausadamente. - A culpa foi toda sua. Você acabou com o que existia entre nós. Eu nunca mais quero ver você na minha...

  Foi interrompido pelo meu soco. Quem ele achava que era? Estúpido!

  - Avery, o que está fazendo? - Minha irmã me olhou confusa. Seu rosto estava inchado.

  - Você acha que ele te ama? - Perguntei com raiva. Ela ficou muda. - Você acha mesmo que ele te ama? Se ele te amasse, não iria te fazer sofrer. Ele é um grandíssimo estúpido! E se ele não sair daqui agora...

  - Não o expulse. Eu não iria suportar. - Emma caiu no chão com força.

  - Me desculpa Emma. É para o seu bem. - Pressionei meu olhar sobre o dele. Ele ria. Como se tudo isso fosse divertido. - Se você não sair agora... Vou te bater tão forte que vai perder sua capacidade de pensar. Se é que você pensa.

  - Não me importa. Eu vou embora. - Deu de ombros e olhou para minha irmã vitorioso.

  A raiva subiu minha cabeça e eu lhe dei um soco bem forte na garganta.

  - SAI! - Gritei enfurecida.

  Ele acariciou o local machucado e foi embora. Respirei fundo e me sentei ao lado da minha irmã.

  - Emma... Você está bem? É óbvio que não está, mas... Pode contar comigo. - Afirmei, tentando abraçá-la.

  - Não me toque. - Disse, chorando rios. - Não fale comigo... Nunca mais.

  Se levantou, e saiu. Emma... Me desculpa.

Eu não sou elaRead this story for FREE!