Caminhava junto a Calum até à casa da árvore.

-Então e gostaste dos rapazes?-Ele murmurou mordendo o labio inferior.

Encolhi os ombros.-Parecem fixes.- coloquei os maos nos bolsos das calças.

Calum assentiu freneticamente.

Entramos na mata.

Estava escuro, coisa normal no mês de Janeiro às 6:30 da tarde.

Chutei uma pedra que se encontrava no caminho e fiquei a vê la "voar" para longe.

Subi para o barracão de madeira atrás de Calum.

-Está frio aqui.- ele murmurou

Assenti mesmo sabendo que ele não tinha olhos atras da cabeça para ver a minha a mexer.

Sentamos no frente a frente.

- Uau já nos conhecemos à uma semana!-Calum ginchou. Soltei um risinho.-Nunca deixei um dos meus amigos, que só por acaso conheço desde que sou puto, vir aqui ou ter conhecimento disto e agora tenho aqui uma rapariga quase desconhecida pela minha pessoa!

Bati com a palma da mão na minha testa enquanto ria.-Só tens porque queres.  Eu posso sempre ir embora.-afirmei brincado.

-Ai é? -ele ameaçou levantado se do chão com as mãos no ar pronto a atacar me com cócegas.

-Claro,  não estou para ficar com cotas.-gozei rindo-me. Cheguei-me ligeiramente para trás.

-Eu digo te quem é o cota, parva!

Ele atirou se para cima de mim fazendo me cocegas em todos os sítios possíveis. 

Eu contorcia-me a rir.Calum ria se também da minha cara.

Quando ja estava a ser difícil de respirar, e provavelmente a minha cara estava vermelha que nem um tomate, o australiano parou.

-Então América, como foi o primeiro dia de aulas em Inglaterra.

-Uma seca, como era de esperar. Odeio a escola.

Calum ficou com uma cara de escândalo.-Não gostaste da minha companhia?

Sorri.-Não era isso que eu queria dizer.-ele disse que percebera e eu suspirei.-Só não percebo oque se passa na cabeça dos adultos para se tornarem professores. Estar todos os dias rodeados de cachopos com as hormonas aos saltos que os odeiam e não tem vergonha na cara para o admitirem.

Calum riu.-Suponho que sejas um desses cachopos.

-Obviu.

-Conta-me mais sobre ti, Mohs.

-Não gosto que me chamem Mohs.

Calum riu.-Outra cena qualquer.  Diz uma frase conta algo que viste. Comunica.

-Ahh deixa pensar em alguma interessante.-tentei me lembrar de alguma frase de jeito.-Sem ideias hoje.

-Oh vala, pensa em algo.

-A frase é Sem ideias hoje, idiota.

O australiano bateu com a palma da mão na cara. -Tah okey.

O meu telemóvel estremeceu no bolso.

Peguei nele e abri a mensagem do meu pai.

[18:49 segunda-feira] De:Pai

Para casa.AGORA.

Decidi responder mas mesmo assim não o contrariar pois quando Dr.Grier está zangado, ele está mesmo zangado.

[18:50 segunda-feira] Para:pai

A ir. Passa se alguma coisa?

Guardei o telemóvel no bolso das calças.

Tirei q camisola cor de rosa da mala e vestia por cima da camisa mrsmo em frente a Calum.

-Camisola nais pirosa.

-Oh não me digas.-ri-Tenhi de ir. Adeus.

Beijei lhe a bichecha e depois abandonei a casa na árvore correbdo até casa.

Abri devagar a porta.

O som de algo a partir se soou.

Oh não.

-_--_-_-

OI E TAL PARA TODAS.

NADA A DIZER...... ESTA DEMASIADO MEH. 

VOTEM E COMENTEM POR AMOR A DEUS!

ADIIIOS!

eddie

Tree house ; calum hoodLeia esta história GRATUITAMENTE!