Capítulo 38

106K 6.8K 810

Tati

Acordei com uma luz forte na minha cara. Olhei ao meu redor e eu tava em um quarto todo branco. E um aparelho que fazia um barulho. Mexi meu braço e tava preso em um negócio de soro. Fiquei ali olhando tudo e lembrei do acidente. Um médico entro e veio até mim.

- Olá, sou o Dr. Marcos, sabe o porquê de estar aqui ne?

- Fui atropelada, não lembro de mais nada doutor.

- Bem, você veio logo pro hospital quebrou um braço como você ver - Olhei pro meu outro braço e vi que tava com gesso - E eu não sei se a senhora sabe, mas estava grávida de um mês. Como foi uma pancada forte, o feto não resistiu.

Eu tava grávida, a Ana tinha razão e eu cismei que não era nada. Eu matei minha própria filha.

- Eu não sabia, eu matei ela - Tentei fazer de tudo pra não chorar,mas tava ruim demais de segurar. O médico foi avisar lá fora quem tava e logo entro o Enzo. Conversamos por um bom tempo que permitia e resolvemos terminar. Rodrigo tava la fora e isso me deixou feliz demais, ele veio aqui me ver e tava preocupado. Meus pais entraram depois que Enzo saiu. Eles me mimaram até o último segundo que poderia ficar.

- Mãe - Chamei quando ela tava chegando na porta - Chama o Rodrigo pra mim? 

- Ele já foi minha filha, o médico falo que tinha quase certeza que o filho era do Enzo e Rodrigo não gostou.

Porque esse médico falo isso?  Logo perto dele. Dei tchau pra ela e fiquei ali mesmo. Fiquei olhando um canto da parede. Com certeza Rodrigo agora tava com raiva de mim. Dr. Marcos viu que eu tava agitada e não podia ficar assim, me deu um calmante que dormi logo.

Senti um carinho no meu cabelo. Era devagar. Abrir os olhos, mas fechei logo a claridade era demais. Fui abrindo devagar e vi que tinha diminuído a luz. O quarto tava um pouco iluminado. Vi Rodrigo do meu lado fazendo o carinho em mim. Meu coração deu um pulo e dei um sorriso de lado.

- Você está aí faz tempo?

- Umas meia hora só, como você ta?

- Porque não me acordou? To bem.

- Você dormia calmamente, fiquei com dó de acorda você. Eu soube que você tava...

- Grávida, eu também não sabia.

- Eu no fundo queria ser o Enzo sabia?

- Porque o Enzo?

- Ele sempre colocou um sorriso em seu rosto enquanto eu só colocava lágrimas em você.

- Para de bobeira Rodrigo, não tem nada disso.

- E ele seria pai de um filho seu - Ele abaixou a cabeça e fico assim por um tempo. Alisei sua mão e mexi em seus dedos. Juntei os meus com os dele e ele olhou.

- Eu quero filho com você - Não me pergunte de onde tirei a coragem de ter falado isso, porque eu não sei mesmo. Fiquei vermelha em menos de um segundo e ele sorriu.

- Bom saber, vamos fazer meia dúzia.

- Nem morta. Isso é muito seu bobo. 

Ele riu e me deu um selinho. Juntei minha testa com a dele e ficamos se olhando. Ele tava mais lindo.

- Cadê o óculos? - Perguntei reparando que tava sem óculos como ele tava usando.

- Tirei, coloquei lentes hoje.

Uma enfermeira entro no quarto pra me dar o café da manhã. Ela não tirava os olhos do Rodrigo e isso tava me incomodando demais.

- Aqui seu café da manhã.

- Pode deixar aí e sair do quarto, tchau - A mulher saiu em menos de minutos e Rodrigo começo a rir de mim.

- O que foi palhaço? - Perguntei toda seria e ele rindo mais ainda.

- Não sabia que você era tão ciumenta assim.

- Vai a merda ta?

- Mas o Tati, você terminou com ele?

- Sim, ele me traiu.

- Você também traiu ele.

- Eu sei ue, somos amigos.

- Você não vai ser amiga dele, não tem essa de ser amiga de ex não.

- Tem sim, você é meu ex e amigo agora.

- Não sou ex e muito menos amigo.

- Ah não?  É o que então? Vizinho?

- Seu marido.

- Desde quando?

- Desde de sempre.

- Você assinou divórcio mês passado amor. - Sim, tínhamos assinado o divórcio depois de uma semana que deu aquele rolo na casa dele.

- Então somos namorados, pronto.

- Não ouvi e nem soube de nenhum pedido.

- Precisa disso mesmo?

- Claro, eu quero tudo certo agora Rodrigo.

- Tem razão. Tati minha vida, quer namorar comigo?  - Ele perguntou com um sorriso fofo no rosto. Dei um sorrisão e afirmei com a cabeça. Ele se aproximou e me deu um beijo devagar. O Dr. Marcos entrou no quarto e Rodrigo se afastou para ele cuidar de mim.

- Vejo que se acertaram ein, parabéns - O médico sorriu pra nós e Rodrigo agradeceu - Então Tatiana, você está liberada viu? Mas repouso em casa, e vou te passar um remédio caso venha dar dores de cabeça.

Concordei ele assinou uns papéis lá e me liderou. Minha mãe veio até o hospital com umas roupas pra mim. Troquei com ajuda do Rodrigo e sai com ele. Minha mãe queria que eu fosse para casa dela. Mas eu preferia ficar na minha mesma. Rodrigo me levou até lá e subiu comigo. Me deitou na cama e foi preparar algo pra mim comer. Mas antes de irmos comer, ele me deu um banho com cuidado para não molhar o gesso. Rodrigo fez uma sofá pra mim e tava maravilhosa. O resto do dia fiquei na cama e Rodrigo fazendo todas as minhas vontades. Ele havia mudado bastante. Conversamos sobre tudo e ele tinha começado na empresa e tava gostando bastante. Ana veio pra ficar comigo a noite e Rodrigo foi embora. Mas conversava comigo pelo o celular.  Contei tudo pra Ana que ficava animada com tudo e me desejou boa sorte com o meu relacionamento com Rodrigo.

Casamento ForçadoLeia esta história GRATUITAMENTE!