Capítulo 37

95.9K 6.4K 630

Enzo

Eu não queria ter feito aquilo com a Tati. Eu acabei me apaixonando pela minha secretaria. Só que como ela é de classe média e não é como eu, fiquei com medo de rejeitaram ela comigo. Ela é bem profissional e acabei me encantando com isso. Mas aí tinha a Tati, sei que ela sempre amou e vai amar o Rodrigo, que o amor deles dois podem ta escrito pra ficarem juntos e sei que a qualquer momento, eles voltam. Eu queria conversa com a Tati sobre tudo hoje, mas eu acabei não resistindo a minha secretaria, nome dela é Carla e ela é tão perfeita. Voltei pra sala e ela tava pegando uns papéis na mesa.

- Deixa aí Carla - Eu disse aproximando.

- Tenho trabalho pra concluir senhor, da licença.

- Volta aqui Carla, para com isso.

- Todos já sabem o que fiz Enzo, agora vão me tratar como a vadia rouba namorados.

- Ninguém vai te tratar assim, se alguém falar isso me avisa.

- Sei me defender sozinha.

Ela é bem atrevida, mas eu adoro isso nela. Fiquei sentado na cadeira, pensando em Tati. Ela não merecia isso, não merecia que fosse assim. Carla entro como um furacão na sala com a cara assustada. Levantei na mesma hora da cadeira.

- O que aconteceu pra você ta assim? Fala Carla.

- Enzo a Tatiana sofreu um acidente, uma das funcionárias tava vindo e viu alguém na rua com o carro perto.

- Vamos Carla, anda.

Peguei minhas coisas e sai correndo. Carla vinha atrás de mim falando o caminho. Ambulância já tava colocando ela dentro do carro e fui até eles me apresentando. Eles deixaram eu ir junto. Pedi a Carla pra ligar pra todos que conhecia a Tati. Ela tava pálida e com um tubo na boca pra respirar. Sua bochecha tava arranhada.

Logo chegamos e levaram ela. Eu não podia entrar, então fiquei ali esperando. Logo chego os pais dela, eles tavam muito nervosos e ficaram do meu lado. Ana e Jen também vieram e tavam esperando. Rodrigo também apareceu, mas ele tava com uma cara de raiva e de dor. Me deu uma encarada que deu até frio em mim. Mas só ignorei. Ele paro um médico e tentou saber de alguma coisa, mas nada.

Uma hora e meia tinha passado e vinha um médico.

- Família da paciente Tatiana?

- Somos nós, como ela está doutor?

- Bom, ela quebrou um braço e tivemos que fazer uma pequena cirurgia, ela perdeu o filho.

- Filho? Que filho? - Perguntei assustado. Ana parecia que ia ter um treco.

- Ela tava grávida de um mês, mas como é de risco o feto não resistiu.

Fiquei parado ouvindo aquilo. Meus olhos encheram d'gua e me sentei. Rodrigo tava igual uma estátua. Não sei mexia e nem nada. Jen foi falar com ele e ele ficou na mesma posição.

- Podemos vê-la doutor?

- Um de cada vez por favor.

Levantei e pedi que fosse o primeiro. Todos concordaram e fui com o médico. Tati tava tomando soro na veia. Viro quando viu que tinha alguém aqui.

- Vai embora Enzo, eu não tenho mais nada com você.

- Você sabia que tava grávida?

- Não, não sabia e não me lembra disso por favor.

- Tati eu não queria ter feito aquilo. Eu sei que você ainda ama o Rodrigo e ele te ama também.

- Aquele babaca ama só ele mesmo, é um idiota.

- Um idiota que ta la fora te esperando.

- Ele ta aqui mesmo? - Ela falo espantada e parecia que ia sair um sorriso, mas sei que ela tava segurando.

- Sim. Chego igual doido, mas aí depois soube da grávida e fico igual uma estátua, não sei como ele ta não.

- Aí merda, ele deve ta com raiva de mim.

- E porque estaria?

- Um mês atrás quando você foi viajar, eu fui jantar na casa dele e acabei ficando com ele Enzo, me perdoa.

- Você me traiu com ele?

- Sim, mas eu queria falar isso contigo, mas eu não me importei com nada disso.

- Não se importou ou fingiu? Olha vou ficar com raiva não, até porque hoje também...

- É, faz quanto tempo você ta me traindo?

- Uma semana, desculpa também.

- Só se você me desculpar?

- Claro, mas Tati... de quem era o filho?

- Eu não sei, acho que era seu mesmo porque semana passada tínhamos ficado, lembra?

- Sim, você ta bem?

- Vou ficar, queria pelo o menos meu filho ne - Ela abaixou a cabeça e alisou a barriga. O médico entro e disse que tinha acabado a hora. Sai do quarto e os pais foram correndo até ela. Rodrigo já não tava mais na sala. Ana se aproximou e veio falar comigo.

- Como ela ta?

- Bem apesar de tudo, terminamos também.

- Vocês não se gostam cara, ta certo.

- Uhum, cadê o Rodrigo?

- Foi embora, fico com raiva quando ouviu o médico dizer que o filho era seu mesmo.

- Entendi, eu vou em casa e depois volto pra ver como ela ta.

- Ok, vai la.

Fui até o carro e marquei de encontrar com a Carla no meu apartamento.

Casamento ForçadoLeia esta história GRATUITAMENTE!