Chocolate, caramelo, biscoito

374 4 0
                                    

Desde o primeiro beijo roubado até o pedido de namoro aceito foram quase seis meses de incontáveis encontros ao por do sol, hambúrgueres, presentes e pagodes. Muitos pagodes. Para os fãs mais atentos, era nítido que Theo estava namorando. Luna e suas amigas iam a quase todos os shows, mas ela não gostava de rotular a relação. Namorou por quatro anos com Rogério, um rapaz que conheceu na escola, e não pretendia começar outro namoro tão rápido. Os outros com quem ela ficou não passaram do período de testes, como ela brincava.

Os amigos e parceiros de banda de Theo já a conheciam e alguns atribuíram a ela a boa fase de composições que estavam vivendo. Foram poucos os que não gravaram alguma música assinada por ele nesse período.

- Ela não dorme comigo, tem que ir embora antes de amanhecer - Theo explicou a Miguel como era seu namoro até o momento
- E Dona Vitória, o que achou? - Miguel quis saber
- Apoia, mas você sabe como ela é. Não acha que vai dar certo... Mas eu sei que vai
- Você sempre acha que vai! Foi assim com a Lu e com a Gabi também
- Agora é diferente. Eu parei de encontrar com a Gabi, e quando fui no Rio disse pra Lu que não podia mais ficar com ela
- Até quando?

A pergunta de Miguel era uma incógnita na cabeça de Theo também. Ele tinha uma rotina de shows quase todos os dias da semana e Luna trabalhava num salão de cabeleireiro além de fazer curso de teatro e dançar em duas emissoras de TV, não podendo acompanhá-lo sempre. Nos shows fora de São Paulo ela nunca podia ir. Para não ficar sozinho, Theo acabava levando alguma fã para o hotel e a namorada não podia nem sonhar com isso. Ela desconfiava, mas ele negava.
- Eu não vou conseguir te dar atenção durante a viagem - ele dizia, quando ela pedia para ir junto
- Eu queria conhecer Recife - Luna lamentou

A relação foi ficando mais séria. Luna apresentou Theo aos seus pais, que de início não gostaram de saber quem ele era, mas depois acabaram se tornando fãs dele também. As famílias tinham muito em comum. Suas mães tinham a mesma profissão, ambas tiveram um casal de filhos e seus casamentos eram impecáveis. Theo e Luna eram os filhos mais velhos de famílias católicas, mas ela não fazia muita questão de seguir aqueles passos... Queria viajar, curtir todas as festas até ficar velhinha.

- Pretende ter filhos? - uma entrevistadora perguntou a Theo
- Sim, uns oito - ele respondeu rindo. Parecia mesmo uma piada, mas as vezes ele se imaginava aposentado, a beira de um lago pescando com a família. A carreira musical era gratificante, mas sentia falta de ter um lugar para voltar. Já Luna não pretendia criar mais do que um cachorro.
- Tenho que escolher um nome pra ele - Luna olhou atentamente o bichinho que dormia em seu colo
- Não sei... Eu sou ruim de escolher nomes - Theo disse, mastigando uma barra de chocolate
- Me diz uma coisa que você gosta muito - ela sugeriu
- Chocolate, caramelo, biscoito... - Theo respondeu
- É, ele tem cor de chocolate mesmo - Luna concordou

Alguns meses se passaram e, fora o ciúme que Luna sentia do trabalho de Theo, eles quase não brigavam.
Saíam juntos e constantemente Luna era confundida com Gabi, a ex de Theo que trabalhava em um programa popular de televisão.
- Você só está comigo porque eu pareço com a sua ex?
- Claro que não! - Théo ficava irritado todas as vezes em que ela mencionava isso.

Resolveram assumir o namoro de forma mais pública na gravação de um DVD na praia, onde se deixaram ser fotografados juntos pela primeira vez. Luna já havia escutado as músicas escritas por Theo, mas uma em especial, ele disse ter feito pra ela. Falava sobre a sensação de estar apaixonado, segundo ele.

Mas pouco tempo durou essa paz. Mais viagens começaram a acontecer, já que o grupo de aproximava do auge da fama. Theo começou a se destacar não só como cantor, mas como sex symbol. A quantidade de meninas atrás dele incomodava Luna, que dizia para as amigas odiar namorar um homem bonito.

- Tem certeza que não quer ir? - Theo perguntou antes de viajar para trabalhar durante o réveillon
- Eu gosto de passar a virada com a minha família. Mas eu vou te ver pela televisão, pode deixar.

Theo tentava conciliar sua tão sonhada vida de famoso com o namoro. Juntou o dinheiro das músicas vendidas para comprar um apartamento e poder sair da casa dos pais, mas só faria isso quando casasse. O pedido nunca chegou a ser feito.

- Pára! Eu não vou ouvir isso
- A gente precisa conversar...
- Você conheceu outro cara?
- Não
- Foi o que então? O que eu posso fazer pra mudar?
- Nada. Acabou
- Não acabou!
- Eu só não te amo mais, tenta entender isso



107 MinutosOnde as histórias ganham vida. Descobre agora