Mais uma briga

2.5K 159 0

Cheguei em casa e meus pais ainda estavam em casa, entrei com cuidado e ouvi a voz da minha mãe vindo da cozinha, suspirei e fui para meu quarto tomei um banho vesti uma outra roupa e desci, eles ainda brigavam.

Rafa: novamente – suspirei me encostei a parede e fiquei os olhando

Pai: quer ir? Vá, mas não volte.

Mãe: é tudo o que você sempre quis não é mesmo? Que eu vá embora

Pai: Você sabe que não Alexia

Mãe: pra quem dizia me amar

Pai: eu te amo, mas é você quem não me ama mais,

Mãe: você não sabe dos meus sentimentos

Rafa: será que dá pra vocês pararem? – gritei e eles me olharam – Não veem que essas brigas só me machucam?

Mãe: Rafaela vá para a escola

Rafa: hoje não tem aula, mãe

Pai: filha suba, por favor,

Rafa: não pai, desculpe, mas vocês principalmente você mãe, precisa ver isso – levantei a manga da blusa e desenrolei a faixa dos meus braços – estão vendo?

Mãe: desde quando faz isso?

Rafa: desde que vocês começaram a brigar desde que você me disse que eu sou seu pior erro

Pai: Está vendo Alexia? Você só enxerga seu próprio umbigo, não olha nem sua própria filha, Rafaela, suba pegue algumas roupas, você irá passar o final de semana com sua avó

Rafa: esta bem. – suspirei.

Subir sem questioná-lo adorava ficar com minha avó, arrumei minhas coisas e desci, minha mãe estava na cozinha, e meu pai na sala.

Pai: vamos?

Rafa: sim, mas antes, irei falar com a mamãe.

Pai: espero-te no carro – apenas assentir, e fui à cozinha.

Ela estava encostada na pia com a cabeça baixa, me aproximei dela.

Rafa: sabe mãe, por, mas que diga que sou um erro eu sinto que me amas. Bem desculpe se acabei com sua vida não tive a intenção, - ouvi meu pai buzinar – eu te amo

Dei-lhe um abraço rápido e sair, encontrei a Liz na calçada com seu pai

Liz: aonde vai amiga?

Rafa: a casa da minha avó

Liz: ah, quando volta?

Rafa: provavelmente no domingo, ligo para você, mas tarde.

Despedir-me da Liz e entrei no carro, o caminho não foi muito longo minha avó morava apenas no bairro vizinho. Chegamos e desci rapidamente do carro entrei procurando ela, a encontrei na cozinha,

Rafa: vó – gritei a abraçando

Vó: minha pequena, que saudades.

Pai: mãe, a Rafa irá ficar aqui este final de semana tudo bem?

Vó: claro meu filho, será um prazer ter minha pequena aqui.

Pai: está bem, filha se cuida.

Rafa: ta pai, não sou mais criança né? – ele riu

Pai: sei que não, estou falando dos seus braços.

Rafa: ah papai, pode acalmar-se não irei me corta, bem pelo menos até o domingo.

Pai: depois conversamos, divirta-se – deu-me um beijo na testa e saiu.

Vó: ainda não parou com os cortes, pequena? – sim minha vó sabia de tudo, ela era digamos que meu diário, me entendia, e me dava conselhos, e quando estava triste me dava o colo que minha mãe não dava,

Rafa: eu tento vó, mas esta difícil – dei meio sorriso

Vó: calma, eu sei que ira conseguir, você é forte e vai passar por cima de todos que te fazem mal – suspirei e assentir

Rafa: o João está de volta

Vó: e o que você acha?

Rafa: sinceramente, eu não gostei dessa volta repentina dele, depois de tudo o que aconteceu aquela magoa ainda não passou

Vó: entendo minha pequena, sei que as coisas do coração são difíceis de esquecer, mas você irá superar, e quem sabe até encontrar o garoto que ira tirar todo esse rancor do seu coração.

Rafa: é talvez – dei meio sorrio – irei guarda minhas coisa, e já volta

Vò: está bem – sorriu

Peguei minhas coisas e fui para meu quarto, sim eu tinha um quarto em sua casa, sempre ia passar os finais de semana em sua casa. Depois de tudo guardado, voltei para a cozinha e sentei-me na mesa a olhando

Rafa: sabe o Aphonso vó? – ela me olhou

Vó: sei, o que tem ele?

Rafa: ele tem agido estranho comigo

Vó: estranho como?

Rafa: nos últimos dias ele vem me perturbando, mas não perturbando do tipo me xingando, é um perturbando do tipo ‘oi rafinha’ – ela riu – e ontem , sem querer eu o peguei digamos que em um momento intimo com uma garota na festa do John, e quando eu estava saindo ele veio me procurar e me pedir desculpas pelo o que aconteceu.

Vó: talvez ele se arrependeu do que fez com você, e está tentando se aproxima de você para se desculpar.

Rafa: eu não sei – mordi o lábio – Talvez seja só isso mesmo - sorri

Vó: deve ser – riu – cadê sua amiga Lizandra?

Rafa: fiquei de ligar para ela

Vó: porque ela não veio com você, ela sempre vem

Rafa: esqueci-me de chama-la

Vó: então a chame – sorriu

Rafa: está bem, mas estou com fome só depois que eu comer – ela riu

Vó: sei de uma coisa que ira matar sua fome

Rafa: o que? – perguntei já imaginando o que seria

Vó: bolo de chocolate com cenoura

Rafa: vó já disse que te amo? – rimos

Desci da mesa e me sentei e comi duas fatias daquele bolo maravilhoso. A Manhã se passou rapidamente, liguei para a Liz chamando-a para passar o final de semana aqui, e logicamente ela aceitou. Ela chegou um pouco antes do almoço, cumprimentou minha vó, guardou suas coisas, depois almoçamos.

Cinco DiasLeia esta história GRATUITAMENTE!