Melhor Amiga

6.9K 229 1

Mais um dia se veio me levantei com uma enorme vontade de jogar o despertador pela janela, porém foi a Liz quem me presenteou, não poderia jogar. Após fazer minha higiene arrumei-me e desci meus pais estavam na mesa,

Rafa: Bom dia – sentei-me tomei meu café e sair.

Como de costume encontrei a Liz e seu pai que nos levou para a escola, ao chegarmos fomos pra sala.

Liz: Rafa, porque está de casaco? – disse me analisando confusa

Rafa: estou com frio – eu havia me cortado ontem e estava escondendo

Liz: Apenas você está com frio, pois é a única de casaco aqui

Rafa: Achei que já estava acostumada com o modo que me visto

Liz: Estou, porém não entendo o porquê de um casaco, se estamos em pleno verão

Rafa: sabe que odeio o verão

Liz: por usarmos poucas roupas? – sorrio com irônia, odiava esse seu jeito.

Rafa: justamente por usarmos poucas roupas

Liz: tudo bem, não irei discutir este assunto com você, pelo menos não aqui

Rafa: Obrigada.

Liz: O que vai fazer à tarde?

Rafa: provavelmente, mas uma tarde chata com minha mãe – ela riu

Liz: Entendi – Nos calamos e começamos a prestar atenção na aula, pelo menos eu prestava atenção ela apenas conversava, os três primeiros períodos demoraram, mas acabaram a Liz foi comprar algo para comer e eu fui sentar-me embaixo da arvore, ela voltou e sentou-se ao meu lado

Liz: o que tem hoje? Está calada

Rafa: nada apenas, ando pensando na vida – dei um riso forçado

Liz: E o que acontece de tão interessante na sua vida

Rafa: simplesmente nada

Liz: até quando vai mentir para mim? – olhou-me um pouco triste

Rafa: desculpa-me

Liz: crescemos juntas Rafaela, sou sua melhor amiga, pode contar-me o que está acontecendo, sabe que guardo segredo

Rafa: eu sei, novamente te peço desculpas

Liz: está desculpada, mas vai contar-me, mas… – a interrompi

Rafa: após a escola, almoçara em minha casa?

Liz: sim, mas.

Rafa: tudo bem, Liz, iremos ao shopping à tarde

Liz: obrigada – ouvimos o soar do sinal – Venha, temos aula de química agora – dei uma risada

Rafa: Desculpa amiga, mas você fala como se amasse a química

Liz: de fato a amo, mas quando acontece entre o ser humano

Rafa: Deus Lizandra, só pensa em namoro

Liz: não estou pensando em namoro Rafa, apenas comentei - suspirou

Rafa: Quem é? – nos sentamos

Liz: como assim?

Rafa: não se faça de boba,quem é o garoto

Liz: depois conto-lhe, a professora começou a aula

-De certo minha amiga estava novamente apaixonando-se, apesar de pensar que ela ainda estava apaixonada pelo Erick, é estranho e ao mesmo tempo lindo o modo com que a Liz se apaixona se acabou, cabeça erguida e sorriso no rosto, admito sinto inveja desse seu jeito, ela se protege e ao mesmo tempo se decepciona.
Os dois últimos períodos passaram rápidos, arrumei minha mochila e saímos da sala, como sempre conversando, desta vez meu pai me esperava, entramos no carro e viemos conversando, chegamos rapidamente em minha casa, subimos para meu quarto e emprestei uma de minhas roupas para minha amiga, ela se dirigiu ao banheiro de meu quarto enquanto eu estava no banheiro do corredor, depois de prontas descemos, almoçamos sozinhas, pois meu pai já havia saído, fomos para sala e ficamos olhando para o teto.

Liz: Porque está de casaco novamente Rafa? Não está frio

Rafa: gosto de casacos - desconversei

Liz: o que esconde? – olhou desconfiada

Rafa: não escondo nada, porque esconderia

Liz: o que esta acontecendo? – ah como ela me conhecia

Rafa: está bem Liz, irei contar-te

Liz: pensei que não iria contar

Rafa: eu me corto – tirei meu casaco e mostrei-la meus cortes

Liz: mas porque Rafaela?

Rafa: Minha vida não é como as pessoas veem Liz, minha família desmorona-se a cada dia que se passa, sempre que meus pais estão juntos brigam, e o motivo é sempre o mesmo, Rafaela, como sabe minha mãe nunca amou meu pai, casou apenas por casar, pelo dinheiro.

Liz: mas você não pode descontar toda sua magoa, em seu corpo

Rafa: a dor que causo em meu corpo não se compara a dor, de saber que sua mãe lhe odeia

Liz: Rafa, você precisa para com isso, por favor,

Rafa: eu não consigo - suspirei

Liz: consegue, eu irei ajudá-la

Rafa: como ira fazer isso?

Liz: não sei, mas iremos passar por esta barreira juntas

Rafa: promete?

Liz: sempre – abracei-a – me promete?

Rafa: O que?

Liz: sempre que seus pais brigarem, e você sentir vontade de corta-se, ira me ligar

Rafa: sempre – rimos

Liz: venha, iremos ao hospital fazer um curativo em seu braço, e, por favor, não discuta

Rafa: está bem, irei colocar um vestido

Liz: serio?

Rafa: sim, por que não? Está calor – Ela deu uma de suas risadas, escandalosas

Subi para meu quarto e coloquei um vestido preto, bem simples, calcei uma sapatilha e desci, pegamos um taxi e fomos para o hospital, o doutor me deu um belo sermão e cuidou de meus cortes, enfaixou meus braços e fomos para minha casa.

Liz: por favor, não se corta mais. - A Liz sim é a única pessoa depois de meu pai que se importa comigo, ela não é apenas minha melhor amiga, é minha alma gêmea, meu porto seguro, meu tudo.

Rafa: irei tentar

Liz: iremos sair hoje à noite, e nem diga não

Rafa: está bem. Mas Liz

Liz: Oi?

Rafa: você não me contou – ela me olhou confusa, depois sorriu.

Liz: a noite eu lhe digo – ela riu - esteja pronta as seis, e bem vá com aquele vestido que lhe dei

Rafa: como quiser. - Entrei e fui dormi,

Cinco DiasLeia esta história GRATUITAMENTE!